Hospital de verdade!

Dias antes do término do ano passei a notar uma febre no meu filho (10 meses). Liguei na Clínica onde ele é atendido e me orientaram a levá-lo ao pronto socorro. Fui para o Florida Hospital em Downtown que era o mais próximo.
Na entrada, meio apressada parei o carro e não achei trocado para pagar o vallet. O rapaz percebendo minha aflição me deixou pagar na saída. ( Paga-se $5 para estacionar o dia todo)
Na recepção, três atendentes muito simpáticos e bem pacientes com o meu inglês. Um deles atravessou todo o hospital (Que é gigante) com a gente até o setor onde o Hector seria atendido. Uma outra recepcionista atenciosa (Detalhe: O sorriso no rosto dos funcionários não parecia forçado) preencheu a ficha e nos encaminhou para o quarto. Hector recebeu uma tornozeleira com um código de barra contendo suas informações, por medida de segurança, se alguém levá-lo para fora do hospital antes de ter alta, um alarme soa alto.





Sim, um quarto na emergência! E muito bem equipado, mesmo se for apenas para checar o que houve.
Você não fica em filas, você não espera em pé!
A enfermeira entra com um laptop e nele já todo o histórico médico do bebê. Usam das melhores tecnologias, inclusive um medidor de temperatura a laser que eu achei demais!
Diagnóstico: Hector com o ouvido inflamado. Mas ainda assim, quiseram checar o pulmão, devido a respiração meio pesada. Minutos depois do médico pedir o exame, uma mulher aparece pra me levar de cadeira de rodas! Não, eu não estava passando mal, eles simplesmente fazem questão de nos locomover dentro do hospital confortáveis, sem precisarmos caminhar pelos imensos corredores, mesmo que você não tenha nenhum problema nas pernas!
E mais uma vez, o operador do raio x muito simpático. Na sala, tudo de alta tecnologia.





Durante a espera, entre um exame e outro, Sempre alguém vindo oferecer um suco, um sanduíche, um iogurte, mesmo que você não esteja internado (o que era o nosso caso), e mesmo que você esteja apenas visitando alguém, E perguntando: _Você precisa de fraldas? _Você precisa de alguma fórmula para amamentar o bebê? _Em que podemos ajudar, está tudo bem?
No final de tudo, uma enfermeira, mais um a vez eu bato nessa tecla ''simpática'', veio fazer o checkout no quarto, já trazendo a data da próxima consulta do bebê agendada, dando as últimas orientações e ainda trouxe um lindo gato de pelúcia como lembrança.
E no final, quanto eu paguei por tudo isso? NADA! O plano de saúde do governo em que meu filho está cadastrado cobre tudo.

O que eu tenho a dizer sobre essa experiência cabe em uma palavra: Respeito.
Infelizmente nós brasileiros estamos tão calejados de absurdos na área da saúde, de ver pessoas morrendo em filas ou tendo filhos nas calçadas dos hospitais, dessa vergonha chamada SUS, que achamos tudo isso o máximo, quando na verdade não é! É apenas o respeito que todo ser humano merece e tem direito sendo executado na prática!

Bom pessoal, esse foi um dos meus relatos referente ao sistema de saúde americano, em breve vou postar meu relato de parto para as mamys de plantão ficarem por dentro!
Fiquem com Deus e até o próximo post!






Nenhum comentário: